Caso Kátia Vargas: "Espero que ela fale, porque a defesa já mudou de tese três vezes", diz advogado de acusação

Publicado em 06/12/2017 às 09:43h

O advogado de acusação da médica Kátia Vargas, acusada de homicídio triplamente qualificado dos irmãos Emanuel e Emanuelle em 2013 no bairro de Ondina, Daniel Keller, espera que a ré fale durante a sessão do júri nesta quarta-feira (6).

De acordo com os advogados de acusação, a defesa nega a discussão, nega perseguição e nega o impacto. Nesta quarta, a defesa pode mudar a versão, assumir que aconteceu o fato, mas que não houve dolo, ou seja, não houve intenção de matar. 

O advogado Daniel Keller também chama a atenção para as três qualificadoras do crime. Primeiro, porque é caracterizado como motivo fútil, segundo porque não houve possibilidade de defesa das vítimas, terceiro por conta do crime comum. "Poderia ter atingido qualquer pessoa naquele momento", disse.

"A defesa fica pegando fatos periféricos, que não têm nada a ver com o fato principal, para tentar tirar a credibilidade das testemunhas. Mas a essência está lá, elas narram a discussão, narram a perseguição, elas narram o impacto", apontou Keller. 
 

Informações do repórter Rafael Albuquerque

Assista:

Publicidade

⇑ Topo